floquinhos

sábado, 9 de abril de 2011

O tempo - sombras de perto e sombras na distância...



Sonata do amor perdido

Onde estão os teus olhos – onde estão? – Oh – milagre de amor que escorres dos meus olhos!
Na água iluminada dos rios da lua eu os vi descendo e passando e fugindo
Iam como as estrelas da manhã. Vem, eu quero os teus olhos, meu amor!
A vida... sombras que vão e sombras que vêm vindo
O tempo... sombras de perto e sombras na distância – vem, o tempo quer a vida!
Onde ocultar minha dor se os teus olhos estão dormindo?

Onde está tua face? Eu a senti pousada sobre a aurora
Teu brando cortinado ao vento leve era como asas fremindo
Teu sopro tênue era como um pedido de silêncio – oh, a tua face iluminada!
Em mim, mãos se amargurando, olhos no céu olhando, ouvidos no ar ouvindo
Na minha face o orvalho da madrugada atroz, na minha boca o orvalho do teu nome!
Vem... Os velhos lírios estão fanando, os lírios novos estão florindo...
(Vinícius de Moraes)

2 comentários:

Paloma disse...

DULCE, o ¨poetinha¨ era mesmo um romantico apaixonado. Sabia falar de amor, como ninguém.

Dulce disse...

Paloma

Sem dúvida, Paloma...
Beijos e bom final de domingo