floquinhos

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

E enquanto a chuva cai lá fora...


... nesta sexta-feira feita de nostalgia, entre tantas lembranças boas e más, nada como a companhia de um poeta para nos aquietar a alma. E quem melhor que nosso Poetinha? Ele cantou o amor como ninguém, ele cantou o amigo, como poucos... 


Soneto do amigo


Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retalhações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.


É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contém o olhar amigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.


Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.


O amigo, um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica.


(Vinícius de Moraes)

12 comentários:

Pitanga Doce disse...

E em tempos modernos ( afinal a modernidade serviu para algo) o leque da categoria se alargou. Não é mais aquele que mora ao lado, que se vê todos os dias no ambiente de trabalho, que pega junto o Metrô, no mesmo horário. Hoje o amigo pode ser intocável, pode não lhe conhecermos a voz, permiti-se a ter um mar que os separa,ou estradas e montes sinuosos, nem sempre à feição de avançá-los quando quisermos. Com tudo isso e apesar disso, obstáculos de todos os feitios, amigos não menos AMIGOS.

beijos em dia de céu confuso.


Ih! Virou mini post. Ah, essa amiga que se espalha! hehehe

Dulce disse...

Pitanga Doce

E tem coisa melhor do que se ouvir amigo(a)? Por isso, exatamente por isso, que gosto tanto deste meu espaço que me proporciona ouvir os amigos...

Concordo com você, Pitanga. Aprendemos a gostar e a acolher como amigos, pessoas distantes que talvez nunca possamos olhar nos olhos, conhecer-lhes o rosto (ao vivo)... E como gostamos!...

Beijos, minha amiga distante, mas bem querida.

Idanhense sonhadora disse...

Olá Dulce ,como eu sempre gostei de Vinicius...Como ele nos fala verdade sobre o reencontro de velhos amigos ...E, nos tempos que correm como nos sabe bem esses reencontros .....nem que sejam pela net ....
Beijinhos
Quina

Agulheta disse...

Olá amiga Dulce!Tem toda a razão,nem sempre os amigos presentes nos acolhe nas horas piores,por aqui mesmo sendo virtual quantas palavras doces e de carinho que nos estimula a alma.Neste cantinho do Minho ainda não chove,esta muito nevoeiro e frio que lembra a época natalícia. Vinicius de Moraes dispensa palavras porque sempre gostei dele.
Beijinho de amizade

Paloma disse...

DULCE, grande Vinicius. Dos sentimentos, ele conhecia de tudo um pouco. Viveu intensamente o poetinha.

Beijos

Dulce disse...

Idanhense Sonhadora

Verdade, minha amiga... Amigos são presentes muito preciosos que recebemos de Deus, da vida...

Beijos e bom final de semana

Dulce disse...

Agulheta

Também tenho encontrado por aqui amigos muito especiais que tem preenchido minha vida com bons momentos e aos quais quero muito bem...

Por aqui, neste momento, a chuva cai forte, molhando a cidade e prenunciando um possivel Natal chuvoso. Mas é Natal, e sempre será lindo.
Beijos e bom final de semana.

Maria disse...

Adoro este soneto é maravilhoso. Minha amiga que linda que está vestida de Mãe Natal.
Tenha uma semana plena de alegria e felicidade.
beijinhos
Maria

Graça Pereira disse...

Amigo na voz e coração de Vinicius de Moraes alcançam uma grandiosidade sem par.
Um soneto maravilhoso.
Beijo.
Graça

Dulce disse...

Maria

Vinicius sempre nos proporciona momentos lindos, não é?
Obrigada, minha amiga, beijos e uma ótima semana para você.

Dulce disse...

Graça Pereira

Talvez pela importância que os amigos tinham na vida desse homem sensível que, por sua notoriedade, vivia cercado de "falsos amigos"... Pessoas assim dão muito, mas muito mais valor ao significado da palavra "amigo", concorda comigo?

Beijos e uma boa semana para você.

Dulce disse...

Paloma

Sentiu, viveu, vivenciou o amor como ninguém e deixou lições de amar que ficam para sempre em seus versos...

Beijos