floquinhos

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Dezembro com cara de agosto


E a magia do Natal começa a se espalhar pelo mundo. Afinal, é dezembro, As casas, ruas cidades, vão se iluminando, os corações vão abrandando, apesar de tudo o que estamos vivendo, da incerteza dos rumos do país, da indignação ao constatar o quanto as pessoas que deveriam viver para o povo e a nação, vivem para si mesmas, manipulam as leis, desrespeitam juízes e magistrados de instâncias superiores legislando em causa própria, tentando afastar de si um castigo muito merecido, desrespeitando principalmente o povo que os elegeu e que deveriam representar, ajudar e defender, e envergonhando a todos nós. Só o que não consigo entender é como gente como essa ainda recebe votos e apoio de uma parte da população. Venho de uma longa caminhada, acompanhei grande parte do progresso desta nação e, confesso, não é nada fácil ver a que ponto chegamos e o quanto descemos moralmente. 
Nossa gente anda tão desacorçoada, desiludida, que nem sei se neste Natal a paz e a alegria poderão estar em muitos lares, nem sei se haverá mesmo um Espírito de Natal espalhando-se pelo nosso Brasil. 
Peço aos leitores e amigos do Prosa que me desculpem por escrever com tanta amargura, coisa que não é de meu feitio, mas depois dos últimos acontecimentos na Câmara Federal, vai batendo um cansaço, uma descrença que acaba por abalar a fé e a boa vontade com relação a esses "senhores" responsáveis pelo país.


2 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Causa aflição. Parece que o povo tem especial predileção por quem os faz sofrer.
Um abraço

Dulce disse...

Elvira,
Concordo plenamente com você.
Abraço