floquinhos

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Esta vã filosofia...


Parece que o ano mal começou e fevereiro já vai quase pela metade... O tempo escorre entre meus dedos como finos grãos de areia secos pelo sol inclemente de um meio-dia de verão. Ah, se eu pudesse reter o tempo, faze-lo caminhar um tantinho mais lentamente para que eu pudesse demorar-me um pouquinho mais em meus caminhos e assim, talvez conseguisse sorver tudo o que gira em torno de mim, gota a gota, num aprendizado enriquecedor para minha alma, sem deixar passar nada... O deslumbramento de um adolescente em seu primeiro amor, a pureza de uma criança transposta em seu riso, a esperança de um jovem no futuro, a força de um homem em seu trabalho, a delicadeza de uma mulher num momento de ternura, a doçura contida numa frase de amor, a ternura do olhar de uma mãe contemplando seu filho adormecido, a paz de um jardim ao luar, a força incontida do mar, a fúria de um vendaval, a beleza de um por do sol, a esperança do amanhecer, o abraço de um amigo, a mão do homem amado, a vida... A vida!
Talvez assim, quando fosse chegado o momento da partida, eu pudesse carregar comigo ao menos um frágil e tênue vislumbre do significado da vida...

4 comentários:

✿ chica disse...

É verdade...O tempo corre, voooooooooooa! bjs, tudo de bom,chica

Dulce disse...

Chica

Obrigada, tudo de bom para você também, beijos e boa noite.

Agulheta disse...

Amiga Dulce! O tempo corre que nem vento,a pouco se era jovem e hoje se lembra os momentos de encanto que a vida proporcionou.
Um beijinho e bom fim de semana.

ps: por aqui a saúde vai melhorando graças a Deus...obrigada

Elvira Carvalho disse...

Que maravilha de texto Dulce.
Poesia pura.
Um abraço e uma boa semana