floquinhos

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Só uma perguntinha...

Para não dizer que não lhes trouxe flores, hoje

Bom dia, meus amigos
Os telejornais de ontem mostraram uma reunião do Forum dos Direitos Humanos onde eram citadas as centenas de mortes causadas por policiais e a violência que impera nas cadeias. Claro que acontecimentos como esses são lamentáveis, mas estou enganada ou não ouvi mesmo a menor citação sobre a angustia e o sofrimento das famílias das vítimas dessa violência? Alguém pode me dizer se, como as famílias dos presidiários, que (pasmem) recebem pensão do Estado para se manterem enquanto seus chefes cumprem pena, as famílias das vítimas desses mesmos presidiários recebem também ajuda monetária e (ou) psicológica, desse Estado tão atento às necessidades de seus cidadãos,  para poderem enfrentar a vida sem seus entes queridos, sem os provedores de seus lares?
Não ouvi menção nenhuma sobre os direitos, o desespero e a dor das mães que perdem seus filhos em assaltos, das esposas que perdem seus maridos vítimas da fúria e desamor desses homens que movidos ou não pelas drogas, levam a morte e a dor a tanta gente... 
Alguém sabe quais são os Direitos Humanos do homem honesto e trabalhador que tem a vida ceifada, trocada por um celular ou o pouco de dinheiro que carrega consigo? Alguém pode me dizer como sobrevive a família desse mesmo homem?
É, meus amigos, fica difícil falar de flores e de amores quando a cidade, o país, o mundo, passa por tanta injustiça... 

3 comentários:

Elvira Carvalho disse...

Uma grande verdade.
Abraço

Dulce disse...

Abraço, Elvira, é uma ótima noite para você.

Pitanga Doce disse...

Também faço as mesmas perguntas cada vez que assisto notícias em que, de vítimas, passamos a agressores por "ostentarmos" nossa "riqueza" enquanto os "sem oportunidades" matam sem dó nem piedade o professor que poderia lhe ensinar algo ou o médico que, um dia, poderia lhe salvar a vida. Quem anda muito a pé ou em transportes públicos, como eu, e por vezes nem sabe quem vai ali ao lado, vê que o "discurso" já está enraizado e nele só contem direitos. Os deveres ficaram para nós, "opressores". Foi isso o que esse DesGoverno conseguiu. Uma luta de classes. Um bla bla bla que temos dívidas com este ou aquele e que por isso temos que ser relevantes com suas faltas de caráter e de vontade de progredir e se igualar a quem conseguiu chegar lá, estudando e trabalhando.

Respirar fundo e passar aos nossos os valores éticos e decentes, é o que nos resta.

Beijos Dulce. Bom fim de semana.