floquinhos

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Dois dedinhos de prosa com a Pátria e com Deus...


Fico aqui conversando com meus botões, quase não acreditando nesta realidade cruel, brutal, insana em que vivemos hoje neste país. 
Que fizeram de ti, ó Pátria Amada? Eu que te conheci simples, discreta, segura, acolhedora, honesta, respeitando teus cidadãos e sendo por eles respeitada, vejo-te agora mergulhada num mar de lama e de descalabros de todos os tipos. Olho-te por todos os ângulos e não vejo nada além de insegurança, medo, roubos, assassinatos, corrupção, impunidade e desesperança... É preciso ser muito "cabeça na lua" para ainda pensar em ti como a terra da promissão, escolhida por Deus para ser Seu lugar de nascimento (não viviam dizendo que Deus era brasileiro?). Teu povo tem medo e vive enclausurado atrás de altos muros, cercado de toda a possível segurança que a tecnologia nos trouxe. Tuas crianças já não vivem soltas e felizes pelas ruas, em brincadeiras, como eu e as de minha geração fazíamos... Teus jovens já não passeiam de mãos dadas, olhos nos olhos, preocupados apenas com a doçura do momento... Teus filhos, chefes de família, já não sabem se voltarão para casa após sua jornada de trabalho... Que fizeram de ti, ó Pátria minha?

Como está difícil, meu Deus! Para onde caminhamos, Senhor? É bem verdade que grande parte dos brasileiros anda esquecida de Ti, dos ensinamentos de Teu filho, do amor por Ele apregoado... É bem verdade que os valores já não são os mesmos e que a educação e a formação dadas hoje aos pequenos carece de disciplina, do ensinamento "tua liberdade termina onde começa a de teu semelhante", ou "respeite se quiser ser respeitado", etc... etc... etc... E, claro, isso faz uma enorme diferença. Faz os pequenos pensarem que são os donos do mundo, que o tal do mundo foi criado para servi-los e que todos lhes devem obediência... Triste não? É evidente, Senhor, que ainda temos muitas e muitas famílias voltadas para o amor, criando seus filhos com responsabilidade. Temos sim, Senhor! E damos graças a Ti por isso, acreditando que nem tudo possa estar  perdido. Mas está insuportável. É só abrir um jornal, ligar o rádio ou a TV e lá está a constatação de tudo o que te digo, Mestre! Vivemos em meio a um caos e temos a impressão de que este país é uma bomba relógio prontinha para explodir... Valha-nos Deus!...

3 comentários:

Pitanga Doce disse...

Dulce, ainda bem que tens aqui Michael Bublé para ouvirmos. Adoro ouvi-lo, principalmente às sextas feiras. Me faz lembrar da "cobertura", em tempos em que tudo ainda estava em seu lugar e sonhar era até permitido, veja só. Onde foi que nos perdemos? Nós, o país, os sonhos, o inalcançável, a luz que acendia à noite...

Beijos, minha amiga paulistana. O Brasil mergulhou em tempos de trevas e de futuro incerto. O último que sair, apaga a luz...se deixarem as lâmpadas.

Dulce disse...

Pitanga Doce

Ainda bem que vivemos outros tempos, querida amiga. Temos, pelo menos, doces lembranças de sonhos e esperanças...
Disse-o muito bem minha amiga carioca... Certamente nem lâmpadas vão restar. Que pena, não?
Beijos e um bom final de semana nesse teu Rio que continua lindo.

Antónia disse...

Boa noite D.Dulce,como já uma vez lhe disse gosto de tudo o que a senhora escreve,mas hoje como portuguesa que sou, revi-me na sua análise do mundo em que vivemos , infelizmente não é só aí no Brasil, aqui em Portugal está tão mau ,tão mau que acho que só fazendo um reset!...Preocupa-me sobretudo o que será o futuro dos meus netos...de todos, claro!Que Deus nos proteja, um abraço